A importância das relações humanas

“ A arte de viver é simples a arte de conviver. (…) Mas como é difícil!
(Mario Quintana).

Joana* é bancária há 17 anos. Sempre teve um bom desenvolvimento acadêmico e profissional, mas há alguns meses, passou a não se interessar por nada, sem ânimo para realizar suas atividades diárias e estar com amigos e familiares. Entrou num processo profundo de depressão. Pedro, 17 anos, está em fase pré-vestibular. Sempre teve um bom desempenho na escola, mas se sente muito inseguro com a escolha da profissão. Diz ser muito ciumento e controlador até nas relações de amizade, sendo muito dependente das pessoas. Não gosta de estar só e nem de realizar qualquer tarefa sozinho. Com o nascimento do primeiro filho de Paula e Márcio, os conflitos de relacionamento do casal começaram a incomodar ambos, quando chegaram a cogitar a separação. Alex possui um novo chefe no trabalho. Ele é bem diferente do chefe anterior que conversava muito antes de tomar qualquer decisão. Sente-se perseguido por este novo profissional, que parece querer mostrar serviço às suas custas. Com as dificuldades no trabalho, Alex tem tido noites frequentes de insônia e muita enxaqueca. Assim como Joana, Pedro, Paula, Márcio e Alex, muitas pessoas, insatisfeitas consigo próprias ou com a relação que estabelecem com outras pessoas, têm recorrido à psicoterapia para lidar com suas dificuldades. Querem se livrar da sensação de angústia que vivem, conseguir se desenvolver na carreira, dormir melhor, rever os modos de relacionamento no casamento, lidar com quadros ansiosos e de depressão etc.

Como se nota nos exemplos, as relações consigo próprio (intrapessoais) e com os outros (interpessoais) estão bem interligadas e como ocorrem no nosso cotidiano, no trabalho, no espaço doméstico, na convivência social, é importante que elas sejam positivas e construtivas. Cuidar de si mesmo, recorrendo à psicoterapia, tem se tornado uma aspiração importante para o trato das dificuldades de relacionamento e para o desenvolvimento de um processo de autoconhecimento e expansão da consciência que podem contribuir com novos posicionamentos na vida e na convivência com as outras pessoas, como também com melhorias na qualidade de vida. É importante estarmos atentos ao modo como vivemos e nos relacionamos, principalmente quando não estamos bem. O cuidado à saúde geral e psicológica trazem benefícios para o bem-estar individual e para a convivência interpessoal.

 

Por Ms. Cristina Aparecida da Silva
Psicóloga graduada há 21 anos pela Unesp de Assis – S.P., Mestre em Psicologia pela USP de Ribeirão Preto – S.P.. Aprimoramento Profissional em Psicoterapia Sistêmica Pós-Moderna. Professora universitária.

Categories: