Saiba por que você deve manter a sua saúde mental e física em dia!

Há tempos, discussões a respeito da unidade funcional soma-psique, de como o corpo adoece, e como a pessoa significa o processo de adoecimento, fazem parte tanto do cotidiano de profissionais das áreas das ciências da saúde quanto das áreas das ciências humanas. 

Pesquisadores das áreas de sociologia, psicologia e antropologia médica cunharam o termo experiência da enfermidade a partir de reflexões sobre a noção de saúde e doença como fenômenos complexos que conjugam fatores biológicos, sociológicos, econômicos, ambientais e culturais (RIBEIRO, 2007). 

Desta forma, “Como” e “Para” que se adoece são questões que precisam ser analisadas partindo do pressuposto que o homem “adoece por contaminação bacteriana ou fragilidade emocional”, quando não atende a uma demanda pessoal, social, familiar, a expectativa do outro e não se sente bem consigo mesmo (TRINDADE, 2006, p. 75). 

A prática da Gestalt-terapia no atendimento clínico possibilita observar a pessoa e a realidade, um enfoque holístico e um método dialógico. 

Ou seja, homem visto como um organismo unificado, buscando um contato genuíno, presente e um diálogo criativo que o impulsiona ir ao encontro do outro na tentativa de entender essa pessoa em sua totalidade.  

Diante do exposto, torna-se relevante compreender e identificar a existência de uma variedade de mecanismos e funções psicofísicas causadoras de depressão, insegurança, estresse, ansiedade, medo e outros meios de manifestações psicológicas não saudáveis, chamadas de doenças psicossomáticas, que influenciam de várias formas o funcionamento orgânico.  

Saúde Mental e Física nos dias atuais

Quando a pessoa tem facilidade de fazer contatos reais, manejar a si próprio e ao seu meio, ela consegue manter formas saudáveis de funcionamento. 

Por outro lado, quando não consegue tomar decisões seguras e atender melhor às suas necessidades pode gerar situações conflituosas levando a desajustes, desconexão e outros distúrbios. 

Percebe-se um número crescente de pessoas que buscam as academias de ginástica ou recorrem às atividades físicas para a manutenção corporal. 

Entretanto, a saúde geralmente fica em segundo lugar nesta busca, perdendo o primeiro lugar para a estética, na chamada corrida para o corpo perfeito.

A situação fica ainda mais séria quando falamos em cirurgias plásticas realizadas por aqueles que não têm paciência ou não acreditam que conseguirão alcançar os resultados esperados através das atividades físicas. 

Além disso, é possível notar que, no mercado, existe uma infinidade de aparatos que prometem transformar corpos nos ideais de beleza idealizados. A busca pelo padrão de beleza ditada pela sociedade está criando indivíduos cada vez mais “bonitos” e menos saudáveis. 

O que pode ser a porta de entrada para problemas relacionados com a saúde mental como anorexia, bulimia ou ansiedade. Neste sentido, é preciso buscar um equilíbrio físico e mental para lidar com sabedoria diante das situações que a vida nos apresenta. 

Para tanto, trouxemos aqui 5 dicas para uma vida mais saudável. Veja a seguir:

1. Aceitação pessoal

A aceitação pessoal é de suma importância para uma vida saudável.  A insegurança e o medo de não ser aceito, julgado e criticado podem, principalmente na fase da adolescência, desenvolver graves problemas de baixa autoestima afetando as formas de funcionamento saudável e patológica. 

2. Convivência saudável

Para manter o equilíbrio, é preciso saber conviver. E isso implica dizer não quando necessário. É importante e libertador dizer “não” quando não queremos ou não podemos fazer algo.

Se conhecer, respeitar e se valorizar, ajudando sempre que possível, é o segredo para a boa convivência com si mesmo e com os outros.

3. Inteligência emocional

Tristeza, medo e a raiva são emoções que fazem parte da nossa experiência cotidiana na relação com si mesmo e com o outro. O ponto chave é ter consciência do que provoca essas emoções para não virarmos escravos delas. 

Nestas condições, a forma como cada pessoa configura suas relações consigo mesma, com o outro e com seus espaços sociais pode influenciar no processo de saúde e doença.

4. Prática de atividades físicas

As práticas de atividades físicas, principalmente em equipe, podem ser uma ótima maneira de cuidar da saúde mental e física, pois seus benefícios vão além da melhoria do condicionamento físico.

Ao recorrer à prática de esportes, as pessoas podem obter melhorias nos relacionamentos, além de se beneficiarem com o autoconhecimento (como identificar seus limites e potenciais).

5. Ajuda especializada

Verificar os sinais do corpo, para identificar o que origina uma perda na saúde é um passo para a pessoa compreender seus sintomas e as enfermidades desconhecidas. 

Em vista disso, dar-se conta, ter consciência de si próprio, da sua dor, do que provoca o que sente e deseja é o primeiro estágio para integração e entendimento dos desajustes psíquicos e físicos.

Constata-se, ainda hoje, pessoas que não buscam tratamento adequado devido ao preconceito e julgamento que podem sofrer de amigos e familiares em virtude da falta de conhecimento sobre um processo terapêutico.

Procure um profissional para ajudar a ampliar o olhar sobre suas experiências e vivências diante do seu contexto histórico e escolha o melhor ajustamento para lidar com os desajustes do corpo na sua totalidade.

Portanto, se para o corpo temos o educador físico, para a mente temos o psicólogo e psicoterapeuta, profissionais que podem auxiliar a encontrar esse equilíbrio.

Agora que você já entrou em contato com a importância de cuidar da saúde do corpo, compartilhe este artigo em suas redes sociais e conscientize seus amigos!

Tags:
Categories:

Postado por Hulda Jacob

Psicóloga – Gestalt Terapia.

Deixar seu comentário

Please enter comment.
Por Favor digite seu nome.
Pro favor digite um e-mail.
Por favor insira um e-mail válido