Medo do escuro tem nome: Nictofobia

Quando crianças, quase que todos nós sentíamos medo do escuro. Porém, o que é normalmente considerado apenas uma fase da infância, pode se estender para a fase adulta e se tornar uma fobia. Esse medo da noite e da escuridão pode ser chamado de Nictofobia. Essa palavra é derivada do grego “Nyctus”, que significa escuridão, e “phobos”, que significa medo ou temor, e que originou a palavra fobia.
A Nictofobia constitui uma desordem de ansiedade clínica gerada pelas imagens sugeridas pelo cérebro com a falta de luminosidade. Quando crianças, esse medo funciona de forma irracional, já que o cérebro sugere imagens terríveis do que poderia acontecer com a falta de luz. Por isso, eles vão sistematicamente evitar situações em que não haja luz.
Esse estado, algumas vezes, acaba se estendendo para a fase adulta, normalmente como consequência de algum trauma sofrido. Especialistas no assunto acreditam que a Nictofobia está geralmente associada à uma experiência traumática sofrida no passado, que pode ter origens diversas, como ser aterrorizado por parentes, estimulado por televisão ou livros que descrevem horrores associados a falta de luz e à noite ou ter sido deixado no escuro por muito tempo em uma situação de aflição.
Quando criança, alguns dos sintomas e consequências da Nictofobia são chupar o dedo excessivamente na hora de dormir, como uma resposta nervosa, ou fazer xixi na cama. Elas vão, também, normalmente, se recusar a dormir sozinhas com as luzes apagadas. Já na fase adulta, a Nictofobia pode gerar outros tipos de consequências mais severas, como dores de cabeça, respiração rápida, tremores, choros, redução do apetite e palpitações cardíacas, geradas pelo estresse causado pela escuridão.
Além disso, essa fobia causada pela associação do escuro à situações ruins, irá diminuir significativamente a qualidade do sono e elevar os níveis de estresse. Isso provavelmente vai ocasionar uma falta de produtividade ou até consequências mais graves, como depressão e distúrbios mentais.
Caso a Nictofobia avance além da infância e persista na fase adulta, é imprescindível buscar ajuda terapêutica e psicológica, já que existem diversos tipos de tratamentos que pode lidar com essa fobia, desde psicanálise até hipnoterapia.

Tags:
Categories:

Postado por Clinica Holos

Deixar seu comentário

Please enter comment.
Por Favor digite seu nome.
Pro favor digite um e-mail.
Por favor insira um e-mail válido