Agende agora a sua consulta por telefone. ✆ Ligue para (71) 3345-4545

Música e o humor

Todos nós quando queremos escutar uma música buscamos aquela que condiz mais com o nosso humor no exato momento ou com a ambição de mudar o próprio humor. Sendo assim, é mais do que normal concluir que a música tem um papel influenciador no estado de espírito e no humor. Pensando nisso, diversas pesquisas foram conduzidas para buscar estudar o poder e influencia da música sobre o corpo e mente.
Segundo alguns pesquisadores, a música pode afetar o caráter e a sociedade e influenciar o pensamento, emoções, a saúde, os movimentos do corpo e o bem estar. Essa influencia pode ser comprovada através de mudanças no corpo como aceleração ou retardamento das batidas cardíacas, relaxamento dos músculos, ritmo da respiração e nível da pressão sanguínea.
O pesquisador Alex Doman, coautor do livro Healing at the speed of sound (Curando com a Velocidade do Som), realizou pesquisar relacionadas à música e humor e inferiu que a música, o silêncio e o ruído têm papel importante no nosso humor, no desenvolvimento do cérebro e no sistema imunológico.
Outro estudo, conduzido por Robert Zatorre e Salimpoor Valorie, pesquisadores da Universidade de McGill de Montreal, concluiu que escutar música pode ocasionar liberação rápida de dopamina, hormônio responsável por sensações de prazer e adrenalina e que reforça atividades comuns para sobrevivência como reprodução e alimentação.
Essa reações do corpo às vibrações do som e mudança das emoções que interferem no nosso organismo levaram a criação de métodos terapêuticos que usam a música como principal ferramenta, como a musicoterapia e a biodança. A musicoterapia deve ser feita por um profissional específico, o musicoterapeuta, e consiste no uso de músicas e seus elementos (som, ritmo, melodia e harmonia) para a reabilitação física, mental e social. É um método indicado para pessoas de todas as idades com sintomas relacionados ao estresse, deficiências de desenvolvimento e aprendizado, doença de Alzheimer e outras condições.
Ou seja, essas sensações que temos quando ouvimos música não é mero acaso e tem explicações psico e fisiológicas. Para te ajudar a escolher o que você quer escutar de acordo com o seu humor, selecionamos algumas playlists no Spotify que podem te ajudar a liberar todos os tipos de sentimentos:
Para relaxar
– Nos momentos melancólicos
– Para se sentir bem
– Para sorrir
– Tristes e com coração partido
– Para se inspirar quando precisamos de criatividade

Tags:
Categories:

Aliviando tensões com a música

Há quase 20 anos, a Organização Mundial de Saúde (OMS) reconheceu a importância de inserir a musicoterapia nos centros de saúde. Mas foi há séculos que o homem começou a utilizar dessa arte também para essa finalidade.

Entre os benefícios da técnica, existe o fortalecimento do vínculo afetivo entre mães e bebês e a promoção do autoconhecimento entre adultos, além de ajudar em casos de reumatismo, Parkinson, fibromialgia, esclerose múltipla, disfunções vocais e de fala, depressão, insônia, pânico, problemas respiratórios, entre outras disfunções.

O efeito é real e se dá pela vibração do som, que desbloqueia o sistema nervoso, ativa o sistema glandular, leva ritmo ao sistema cardiopulmonar, libera tensões musculares e coloca em movimento o sistema metabólico-locomotor.

Seja qual for a indicação, cada caso envolve uma prescrição específica de melodias escolhidas conforme o tratamento a ser realizado e as características físicas, mentais e sociais do paciente. Não há restrição de estilos ou gêneros, o importante é que a música atue como um meio de transformação e nunca reforçando a patologia.

Tags:
Categories: