Agende agora a sua consulta por telefone. ✆ Ligue para (71) 3345-4545

Como a psicoterapia ajuda a enfrentar momentos difíceis?

“O que é psicoterapia? Duas pessoas encontram-se numa sala e conversam, ou não conversam. Isto parece tão simples, que se torna difícil de acreditar como isso é tão complexo! ” (Wilfred Bion)

O que é Psicoterapia?

A psicoterapia é um tipo de tratamento de base dialética, cuja finalidade é buscar soluções para os problemas de cunho psicológico que afligem milhões de pessoas em todo o mundo e/ou proporcionar o autoconhecimento.

Transtornos como fobias, ansiedade e depressão podem ser controlados, amenizados ou até mesmo curados através dessa prática que não se limita a tratar, apenas, de pessoas que estejam com a saúde mental comprometida. 

Assim, pessoas que buscam o autoconhecimento ou superar acontecimentos difíceis – como a perda de um ente querido, o término de um relacionamento, a perda de emprego, baixa autoestima, bullying e outras questões que provocam mal-estar, angústia e/ou desorganização do sujeito – podem recorrer à psicoterapia por garantir bons resultados.

Quer saber como a psicoterapia ajuda nesses casos? Leia o nosso artigo até o final para descobrir!

Abordagens da psicologia

Engana-se quem pensa que só existe um tipo de psicoterapia. Dada a importância desta atividade para a melhoria da qualidade de vida das pessoas, a psicologia ampliou os horizontes em direção às novas possibilidades e podemos encontrar, além da psicanálise, várias outras abordagens, cada vez mais especializadas.

Essas abordagens norteiam a atuação teórica do psicólogo. Como exemplo, elencamos algumas:

  • Junguiana;
  • Lacaniana;
  • Cognitivo-comportamental;
  • Sistêmica;
  • Gestalt;
  • Analítico-comportamental, dentre outras. 

Como a psicoterapia ajuda a enfrentar momentos difíceis?

Ao longo da vida, passamos por inúmeras circunstâncias onde nos sentimos perdidos, com sentimentos de raiva, insegurança, medo ou inconformados com alguma situação. Muitas vezes o sentimento é tão forte que nos impossibilita de continuar tendo uma rotina normal. É neste momento que devemos pedir socorro, procurando um psicólogo que nos ajudará.

Para algumas pessoas a dor e o sofrimento demoram a passar e saber lidar com as adversidades, intempéries e realidade é fundamental para podermos seguir em frente. Pensando nisso, listamos abaixo 7 formas como a psicoterapia ajuda em períodos de dificuldade: 

1. Acolhimento psicológico

Com uma escuta apurada o psicoterapeuta acolhe o paciente no momento de angústia, sofrimento e aflição, visando minimizar as dores, conflitos e incertezas.

2. Receber feedbacks imparciais de um profissional

Nem sempre ouvimos o que é preciso das pessoas que amamos. Por isso, ainda que a análise dos fatos possa ser dolorosa para o paciente, o profissional tem o dever de alertá-lo e juntos buscarem a superação do problema.

3. Incentivar a deixar a zona de conforto 

Somente um profissional com conhecimento na área é capaz de fazer o paciente sair da sua zona de conforto e dar os primeiros passos para a resolução dos seus problemas e gerenciamento de seus conflitos de forma saudável e livre de pressões.

4. Entender melhor as emoções e como lidar com elas

Através de técnicas, o psicoterapeuta ajuda o paciente a trilhar um caminho em busca do conhecimento das emoções, muitas vezes reprimidas por este, possibilitando encontrar uma forma mais leve de viver. 

5. Descobrir limitações que passavam despercebidas

A identificação de bloqueios que impedem o paciente de ter uma vida social saudável e suas causas, também, são resultados da psicoterapia.

6. Contribuir para o aumento do bem-estar

A psicoterapia tem o poder de fazer com que o paciente se conheça melhor, descubra suas características mais implícitas e aprenda a lidar com o medo, aumentando assim a autoestima e o bem-estar.

7. Autocontrole

A psicoterapia contribuirá para a regulação de algumas emoções como a raiva, a tristeza e a insegurança, que podem provocar reações desproporcionais ao evento devido à falta de controle emocional.

Se precisar, não hesite em fazer contato com a Clínica Holos, estaremos prontos para te ajudar!

 

Iêda Domitilo
Psicóloga
Clínica Holos de Saúde e Desenvolvimento Pessoal

Tags:
Categories:

Como controlar a ansiedade? Veja os tratamentos mais indicados

Como controlar a ansiedade diante de tantas preocupações? Como lutar contra a sensação de que o mundo vai engolir você e a angústia não vai passar? Se você quer encontrar as respostas, esse artigo foi feito para você. Acompanhe:

A ansiedade, considerada o mal do século, tem aprisionado muitas pessoas atualmente. É natural que você busque realizações pessoais e profissionais visando um futuro promissor, mas, se tiver excesso de preocupação com o futuro, sua mente pode adoecer. Por isso, saber como controlar a ansiedade é essencial para viver bem.

Existem várias medidas que podem ser tomadas para prevenir a ansiedade, como:

  • Praticar atividades físicas;
  • Fazer uma higiene mental – fugir de pensamentos negativos;
  • Ter uma alimentação saudável – o arroz integral, a quinoa, a aveia, o chocolate, dentre outros, têm importantes fontes de hormônios que combatem a ansiedade;
  • Fazer uso de calmantes naturais constantemente – suco de maracujá, chá de camomila, alface e outros.

Mas, o que é ansiedade?

A ansiedade é um estado onde a pessoa, levada por uma situação de medo, se preocupa excessivamente com o futuro, tendo dificuldade para realizar sua rotina diária. É um sentimento exagerado de antecipação. Ela provoca sintomas físicos e/ou psíquicos, como:

  • Falta de ar;
  • Taquicardia;
  • Enjoos e vômitos;
  • Irritabilidade;
  • Dificuldade para dormir;
  • Dores musculares;
  • Medo constante;
  • Dificuldade de concentração;
  • Angústia;
  • Nervosismo, e outros.

Se você sente alguns desses sintomas combinados, é preciso buscar ajuda profissional e não negligenciar a doença, pois ela pode evoluir de um quadro leve para o estado grave. Então, quanto mais rápido aprender como controlar a ansiedade, terá mais chances de vencer o medo e viver com mais tranquilidade.

Principais causas da ansiedade

Nunca houve uma geração tão ansiosa como a atual. Como controlar a ansiedade da população diante de uma rotina tão acelerada e movida pelo estresse? A necessidade de ter o controle da situação também é um indício de ansiedade, que pode ser causada por diversos motivos, tais como:

  • Fatores genéticos;
  • Redução da produção de substâncias no organismo como a serotonina, a dopamina e a norepinefrina, que são neurotransmissores responsáveis por dar ao cérebro a sensação de felicidade e bem-estar;
  • Rotina com elevado nível de estresse;
  • Má qualidade de vida e alimentação inadequada;
  • Questões hormonais (menopausa e TPM);
  • Abuso de substâncias psicoativas: nicotina, drogas, álcool; e,
  • Uso excessivo de redes sociais.

 

 

Mas como controlar a ansiedade? Veja os tratamentos indicados!

Você sabe como controlar a ansiedade? Existem diversas  técnicas alternativas de conter essa enfermidade, como: realizar acupuntura, fazer ioga, massoterapia e beber  chás calmantes. Porém, o tratamento psicológico é a melhor alternativa a ser realizada, pois através dele é possível identificar as causas do transtorno e tratar os danos causados por ele.

Em determinados casos, o psicólogo encaminha o paciente ao psiquiatra, que pode receitar ansiolíticos (medicamentos que ajudam no tratamento da ansiedade). Além do tratamento psicoterapêutico, a mudança no estilo de vida é muito importante para conter o distúrbio.

A área de psicoterapia da Clínica Holos

A Clínica Holos dispõe de um espaço amplo, onde são atendidos pacientes de todas as faixas etárias. Temos um quadro de profissionais especializados em psicologia e psiquiatria, qualificados para atender todos os tipos de transtorno de ansiedade. A Holos oferece alguns tratamentos psicoterapêuticos, como:

Como você já identificou os sintomas, e precisa tratar a ansiedade de forma eficaz, o ideal agora é escolher a abordagem que mais se identifica e agendar sua consulta.

Tags:
Categories:

Saiba como controlar o estresse!

As pressões do dia-a-dia podem ser combustível para o sucesso ou se tornar fontes de estresse, dependendo da intensidade e frequência com que acontecem e da maneira como reagimos a elas. Por isso, conter os ânimos é providencial para quem deseja viver com qualidade de vida, e mais, saber como controlar o estresse pode ser o caminho para encontrar a paz interior.

Estamos cada vez mais cercados por cobranças e submetidos à situações favoráveis ao desgaste físico e emocional, seja no âmbito familiar, profissional ou social. O chefe estabelece prazos e metas exorbitantes; o filho que deseja mais atenção, limitada pela escassez do tempo; os recursos financeiros às vezes são menores que as dívidas à pagar. Enfim, uma série de agentes potencializadores do estresse.

O estresse, suas causas e sintomas

Mas, afinal, o que é estresse?

É a resposta física ou mental do organismo às tensões. Ele é responsável por provocar uma série de reações químicas e fisiológicas que geram sensações de medo, desconforto, nervoso, preocupação, etc.

São inúmeras as causas do estresse, desde acontecimentos bons ou ruins, à problemas cotidianos. Dentre elas, as mais comuns são:

  • Mudança de residência;
  • Casamento;
  • Crises no relacionamento ou separação;
  • Nascimento de um filho;
  • Ruídos e sons altos;
  • Desemprego ou excesso de trabalho;
  • Falecimento de entes queridos;
  • Problemas de saúde ou de aceitação;
  • Efeito colateral ao uso de certos medicamentos (para tratar asma, tireoide, resfriado, e outros).

Além desses fatores, o uso de drogas, e até mesmo excesso de cafeína, podem ser responsáveis por elevar o nível do estresse de uma pessoa.

Diante de situações de grande tensão, o nosso organismo passa a produzir uma quantidade maior de cortisol – hormônio diretamente envolvido na resposta do corpo ao estresse – na corrente sanguínea.

Existem três tipos de estresse: o agudo (resultante das pressões diárias), o agudo episódico (mais frequente devido ao excesso de preocupação) e o crônico (onde a pessoa está continuamente estressada).

O estresse pode apresentar tantos sintomas físicos quanto psicológicos, dentre os quais, os principais são:

  • Dores de cabeça;
  • Náuseas;
  • Dor no peito;
  • Hipertensão;
  • Dores musculares;
  • Boca seca;
  • Queda de cabelo em excesso;
  • Mau humor;
  • Sensação de fracasso;
  • Alteração do sono; e,
  • Desânimo.

Quer saber como controlar o estresse? Faça terapia!

Existem algumas atividades simples que ajudam a controlar o estresse, como, por exemplo, cuidar de si mesmo, usar menos o celular, dormir melhor, fazer sexo, praticar exercícios físicos, ter uma alimentação balanceada, etc. Contudo, é fundamental recorrer à terapia e psicoterapia para:

  • Identificar a causa do estresse;
  • Sanar os sintomas do estresse;
  • Encontrar equilíbrio emocional;
  • Aprender a administrar melhor os sentimentos;
  • Ajudar a refletir sobre os problemas;
  • Ter um novo olhar sobre uma preocupação recorrente.

A terapia é muito eficaz no alívio do estresse, pois a pessoa passa a se conhecer melhor e começa a tomar decisões mais assertivas. Ela filtra pensamentos negativos, evita o isolamento e consegue ter relacionamentos interpessoais mais saudáveis. Ou seja, toma a direção da situação.

O tratamento terapêutico também ajuda a controlar o estresse em doenças psicológicas como depressão e ansiedade.

Na psicoterapia, o paciente vai expor os seus anseios, problemas e questões que estão afetando direta ou indiretamente a sua felicidade. O psicólogo ou psicoterapeuta vai ajudá-lo a entender como o seu comportamento tem o prejudicado, e te orientará a assumir novas posturas que ajudem a controlar o estresse.

O tratamento psicoterapêutico pode ser realizado através de:

  • Psicanálise;
  • Terapia Junguiana;
  • Gestalt;
  • Psicoterapia Cognitivo Comportamental;
  • Bioenergética, e outras.

Terapias alternativas para ajudar a controlar o estresse

Os tratamentos alternativos também podem ser bons aliados no combate ao estresse.  Algumas técnicas utilizadas atualmente apresentam resultados satisfatórios, dentre elas:

Yoga

Ajuda a pessoa a fazer uma “higiene mental” pela prática de meditação, estimulando-a a encontrar-se consigo mesma.

Acupuntura

Técnica que estimula os pontos distribuídos pelo corpo com uso de agulhas, a fim de permitir o relaxamento e alívio de dores.

Reflexologia

Busca-se o equilíbrio entre mente e corpo através da massagem nos pés.

Aromaterapia

Usa-se óleos naturais para tratar desequilíbrios emocionais.

Então, agora que sabe a importância da terapia em uma rotina estressante, comprometa-se! Não deixe o estresse vencer você e sua felicidade.

Se você procura por um tratamento eficaz para a cura do estresse, conheça os nossos serviços clicando aqui!

Tags:
Categories:

Como curar o trauma causado pelo câncer de mama?

O câncer de mama é uma doença devastadora, que quando diagnosticada, desencadeia fortes reações emocionais, tanto em quem sofre, quanto em quem está próximo do paciente.

É importante salientarmos que o câncer de mama quando descoberto no início possui grandes chances de cura, por isso o autoexame é fundamental para auxiliar no pré-diagnóstico. Mas para além das consequências físicas, quais são os danos psicológicos?

O câncer de mama e o trauma

Antes de falarmos dos traumas ocasionados pelo câncer de mama, você entende bem o que é um trauma?

Diariamente milhares de pessoas no mundo são submetidas a algum tipo de trauma de origem física ou emocional, que pode ter sido desencadeado por uma violência ou situação de intenso estresse. A estatística aponta que pelo menos 90% da população em todo o mundo já foi vítima de alguma situação potencialmente traumática durante a vida.

E o que irá tornar o evento adverso uma marca permanente ou uma situação de estresse superada, é a forma como o pós acontecimento é encarado. Quando, devido a razões multifatoriais, o indivíduo possui resiliência emocional para superar o ocorrido, o mesmo não trará marcas emocionais duradouras, mas nem sempre é isso que acontece.

O trauma é a raiz de todos os transtornos psicológicos, e os danos causados por ele podem até mesmo chegar a privar um indivíduo da sua saúde mental e restringí-lo a um determinado padrão comportamental. É intrínseco ao ser humano a capacidade de superar situações de grande estresse, no entanto, existem eventos que superam esta capacidade nata, e é neste momento que o trauma acontece.

Se uma situação que normalmente já deveria ter sido superada ainda o incomoda, é interessante que você procure um auxílio profissional para uma investigação, pois existe a possibilidade de ter sido desenvolvido um trauma.

O trauma psicológico é caracterizado pelos seguintes sintomas:

  • Hiperexcitação: caracterizada pela facilidade de se assustar em situações corriqueiras.
  • Irritabilidade ou surtos de raiva.
  • Isolamento e afastamento do convívio social.
  • Evitamento de situações que possam lembrar o evento que desencadeou o trauma.
  • Revivificação constante do momento que ocasionou o trauma (principalmente durante a noite e em situações de privação de sono).
  • Hipervigilância: estar sempre alerta para caso haja uma possível repetição do evento traumático.
  • Desinteresse pela própria vida ou planos futuros de natureza pessoal e profissional.

O medo da morte sempre poderá ser considerado uma situação de grande estresse, e estará presente em mulheres diagnosticadas com o câncer de mama. Neste momento, o acompanhamento psicoterapêutico agirá como um norteador trabalhando na recuperação da autoestima e interesse pela vida.

Dor física e trauma emocional

Você já deve ter ouvido a expressão “estou com um aperto no peito”, que geralmente é mencionada em situações de decepções amorosas ou perdas familiares, por exemplo. Por mais impressionante que possa parecer, os traumas psicológicos podem causar dores corporais reais e até mesmo ocasionar o aparecimento de doenças físicas, das quais o órgão mais afetado é o coração.

Segundo o estudo da Faculdade Imperial de Londres, o coração humano possui um dispositivo para lidar com altas cargas de adrenalina. Quando ele é acometido de um repentino enfraquecimento e uma de suas câmaras tem a sua forma modificada, provoca-se um movimento muscular, que é a tão conhecida “dor no coração”.

De forma correspondente, a mesma região do cérebro responsável por filtrar esta dor, também é responsável pela reação da dor física: o córtex cingulado anterior.

A importância do auxílio terapêutico na cura do câncer de mama

Através da psicoterapia é possível minimizar as reações desencadeadas a partir do trauma sofrido. Com o acompanhamento psicológico o indivíduo poderá compreender de forma concreta as emoções e reações de seu organismo, a fim de que possa melhor lidar com elas.

Contudo, existem algumas dicas que podem ajudar uma pessoa a curar-se de um trauma:

  • Converse com você mesmo: não fuja de seus pensamentos, dialogue internamente.
  • Não se vitimize: procure não se perguntar porque você sofre disso, ninguém merece passar por um trauma, certamente você também não. Foque seus esforços para que o trauma não se torne o centro de seus pensamentos.
  • Seja autoconfiante: você não é o trauma, não deixe que ele defina quem você é.
  • Procure ser consolado: se estiver mal, não existe problema em procurar ajuda de amigos e parentes. Você não é um incômodo e não precisa estar só.

O tratamento terapêutico sempre será tão importante quanto o tratamento clínico nos casos de câncer de mama. Não existe como separar a saúde mental da física, portanto, busque ajuda profissional caso necessite.

Gostou desse conteúdo e quer continuar navegando em nosso blog? Recomendamos a leitura de Câncer de Mama – tratamentos para depressão pós trauma.

Tags:
Categories:

Câncer de Mama – tratamentos para depressão pós trauma

Antes de conversarmos sobre os tratamentos para depressão, é importante desconstruirmos alguns conceitos errôneos atribuídos à psicoterapia e sua aplicação nas diversas frentes.

A psicologia e os tratamentos para depressão

A Psicologia ainda sofre preconceitos na atualidade: mesmo com o aumento das informações sobre doenças e tratamentos psicológicos, ainda existem pessoas que consideram psicólogos como médicos que tratam apenas de doenças psíquicas graves. Contudo, essa área do conhecimento continua avançando e tem se tornado um dos principais alicerces para a vida saudável do homem contemporâneo.

Em nossa sociedade, a rotina acelerada ocasiona situações de forte estresse, o que, com o passar do tempo, pode gerar danos à saúde mental, uma vez que situações difíceis e traumáticas, ainda que pontuais, são gatilhos que podem levar à transtornos psicológicos. Uma das doenças mentais mais abordadas atualmente é a depressão, porém, muitas vezes ainda de forma equivocada.

Devido a visão distorcida que há sobre esta disfunção, pessoas que precisam de tratamentos para depressão podem ser bastante prejudicadas, já que muitas delas sofrem com o transtorno, mas não buscam o auxílio de um profissional.

A psicoterapia é importantíssima não só para o tratamento da depressão, mas é fundamental em sua prevenção. No caso de um evento traumático como um câncer, por exemplo, o acompanhamento psicológico desde o momento da descoberta pode evitar o desenvolvimento da doença, o que ajuda a reduzir a gravidade do quadro do paciente.

Tratamento psicológico para o câncer de mama

Não há como mensurar o abalo psíquico que o câncer de mama pode causar em uma mulher. Porém, quando há o acompanhamento psicológico da paciente, ajudando-a a lidar com suas angústias e medos, a carga emocional é dissipada, impactando positivamente na recuperação da saúde durante e após o tratamento.

Uma vez diagnosticada com câncer de mama, muitas etapas se darão na vida da paciente, desde a forte rejeição e negação da doença, até a esperança de estar completamente curada. Por isso, é extremamente necessário o acompanhamento desde o diagnóstico até o término do tratamento.

O câncer é uma doença devastadora no que tange também a saúde mental dos familiares e amigos, logo, se faz necessário que as pessoas mais próximas ao paciente também sejam assistidos por um acompanhamento psicoterapêutico.

Os benefícios trazidos pela psicoterapia

São inúmeros os benefícios que a psicoterapia pode trazer à vida de uma pessoa. Vamos aqui citar alguns deles.

Melhora da autoestima

Pessoas que possuem autoestima baixa podem passar a ser vítimas da depressão e/ou do transtorno de ansiedade.

A psicoterapia ajuda o indivíduo a reconhecer as suas capacidades, desenvolver o amor próprio, no fortalecimento da inteligência emocional e da capacidade de lidar com situações controversas que ocorrerão ao longo da suas vidas.

Desenvolvimento pessoal e autoconhecimento

A partir do momento em que uma pessoa conhece as suas potencialidades e dificuldades, a mesma pode investir em seus pontos positivos, de forma a conseguir “driblar” os obstáculos que a impedem de alcançar a paz interior e o equilíbrio.   

Assim, poderá trabalhar para se tornar um ser humano cada vez melhor, aprendendo  sobre limitações e desafios, além de superação e esperança, na busca pelo autoconhecimento, felicidade e evolução, para si e para todos ao seu redor.

Superação de traumas

É inevitável que situações trágicas ou desagradáveis aconteçam na vida de qualquer pessoa, e para saber como lidar com elas e superá-las, que a psicoterapia vem em nosso auxílio. O acompanhamento psicoterápico ajuda na capacidade de reagir positivamente no tratamento da depressão, da tristeza e da frustração.

Nosso atendimento psicológico

A Clínica Holos conta com profissionais altamente competentes para auxiliar no desenvolvimento pessoal e no bem estar de seus pacientes.

A psicoterapia lida com o autoconhecimento e superação de traumas, por isto, se você está passando por um momento difícil, ou conhece alguém que busca por tratamentos para depressão, procure nossa ajuda. Estamos prontos para te dar o auxílio psicológico que você precisa.

Agende uma consulta com um de nossos especialistas.

Tags:
Categories:
A psicanálise em tempos de carnaval

A psicanálise em tempos de carnaval

Com o passar do tempo, na vida adulta, assumimos certos compromissos, construímos uma identidade e tememos o olhar do outro. Somos cobrados o tempo todo, mas no carnaval tudo fica diferente.  As pessoas liberam os mais profundos e secretos desejos dando voz a emoções e impulsos escondidos.

No fim de semana de carnaval é permitido fantasiar. Segundo Freud, a fantasia é o substituto do que é o brincar para a criança, sendo que enquanto a criança exibe seu brinquedo, o adulto inibe suas fantasias.

No carnaval, as pessoas esquecem os problemas e dificuldades rotineiros e podem desfrutar de puro prazer e euforia. O carnaval abre alas no palco real da vida, admitindo a fantasia falar mais alto. Para as psicanalistas, a fantasia atrai o olhar do outro, faz chamar atenção. Há tanto prazer e felicidade em curtir este momento que desejo e realidade se misturam por isso, o inconsciente pode fluir sem extrapolar os limites da sociedade e de nossas cobranças pessoais.

As máscaras tomam o lugar das nossas aparências sociais, porque com os ornamentos nos disfarçamos ou nos revelamos podendo brincar sem medo independente de sermos lembrados no dia seguinte.

Mas, não exagere na curtição, costuma-se dizer que o superego é solúvel em álcool e ao renascer das cinzas todos voltam a sambar ao som da batucada das aflições do cotidiano.

Tags:
Categories:

Eu tenho Déficit de Atenção?

O TDAH, transtorno do déficit de atenção e hiperatividade, é um transtorno de causa genética que surge na infância e, provavelmente, acompanhará o indivíduo por toda a sua vida. Você já parou para se questionar se tem o Déficit de Atenção?

Os portadores do TDAH se percebem muito desligados, não conseguem prestar atenção em algo durante muito tempo e tem dificuldade de aprender, as vezes até pensam na possibilidade de terem algum retardo mental. Também tem muita dificuldade de se concentrar durante a leitura, relê o mesmo parágrafo várias vezes e quando o livro está chato, se distrai muito. Outra característica comum são os pensamentos sem freios a ponto de não lhe deixar dormir.

Mas, é importante e preciso verificar se o quadro é de stress ou se é reincidente para se pensar na possibilidade de TDAH. Por mais que esse transtorno possa gerar alguns prejuízos com a desatenção, inquietude e impulsividade, é possível, através de estratégias, conviver com ele. O caminho terapêutico da medicina seria a medicação e o da psicoterapia seria o trabalho no sentido do desenvolvimento de novos comportamentos que minimizariam as consequências do transtorno.

Tags:
Categories:

Será que estou com depressão?

Reconhecer o momento certo de buscar ajuda profissional para identificar o quanto antes se os sentimentos negativos não são uma simples tristeza é de extrema importância para a melhoria da saúde mental e da qualidade de vida do paciente. Através de algumas perguntas que o profissional faz, é possível auxiliar no diagnóstico precoce. Alguns exemplos são:

1. Tem pouco interesse ou pouco prazer em fazer as coisas?
2. Sente-se ‘para baixo’, deprimido ou sem perspectiva?
3. Tem dificuldade para dormir, permanecer dormindo ou dorme mais do que de costume?
4. Sente-se cansado ou com pouca energia?
5. Tem falta ou excesso de apetite?
6. Sente-se mal consigo mesmo ou acredita que é um fracasso, ou que decepcionou sua família ou você mesmo?
7. Tem dificuldade para se concentrar em atividades simples, como ler jornal ou ver TV?
8. Apresenta lentidão para se movimentar ou falar, a ponto de outras pessoas perceberem? Ou, ao contrário, está tão agitado ou inquieto que fica andando de um lado para o outro muito mais do que de costume?
9. Pensa em se ferir de alguma maneira ou acredita que seria melhor estar morto?

A psicoterapia aliada a medicamentos são necessários para recuperar a funcionalidade do paciente e ele volte a sua capacidade plena de atuação, como retornar ao trabalho, reassumir hobbies ou resgatar relacionamentos pessoais. Fique bem! Marque logo uma consulta.

Tags:
Categories: