Agende agora a sua consulta por telefone. ✆ Ligue para (71) 3345-4545

Como lidar com equilíbro psíquico e emocional em tempos pandemia.

Nesses tempos de pandemia, como devemos lidar com o isolamento social, distanciamento físico e a quarentena? São múltiplos os aspectos e eventos envolvidos nesse fenômeno, inédito na história recente da humanidade e  de tamanhos efeitos globais. Essa pandemia que afeta a vida de todas as pessoas, afeta em diferentes segmentos: social; econômico;  financeiro e psicológico.

Logo, em tempos de incertezas, a saúde psíquica se destaca e entra em questão. Refletir sobre questões de diversas ordens (que são muitas), todas elas se sustentam num único pilar: qual o sentido de tudo isso na vida?

Objetivamente é: como lidar com a realidade que apresenta fatos duros, ameaçadores, informações de toda ordem, mudanças de comportamentos e evidencias científicas, que ainda estamos mergulhados em pleno processo da pandemia?

Sem dúvida o momento é delicado e complexo porque impacta, sobremaneira, diversos pontos da nossa vida global, porém com maior efeito na nossa saúde emocional e psíquica.

E nesse sentido, a devida atenção e cuidado com a nossa saúde psicológica fará a diferença. E por quê? Porque a questão não é o que acontece, exclusiva e objetivamente, mas como se lida com o que acontece. Como se enfrenta essa crise com menor dano psíquico e emocional possível?

Nesse processo de como lidar com o que acontece, diz respeito aos nossos conteúdos emocionais, inconscientes ou não, nossos referenciais históricos e vivenciais, traumas e demais construtos de nós mesmos.

Importa dizer que o tamanho impacto gerado em nossa vida decorre de como interpretamos os fatos, de como nossa subjetividade se apresenta e se revela diante dessa doença. Nesse sentido, qual o caminhar possível?

Cuidando daquilo que nos chamam atenção, contido no nosso mundo interno, que são: nossas emoções, nossos afetos (desafetos também), nossas interrogações, nossas relações, nossas duvidas, nossas  percepções, nossos sentidos e os nossos desejos.

Buscar acolhimento e ajuda  aos profissionais Psicólogos(as) e Psiquiatras é uma das possibilidades para retomar o equilíbrio, o entendimento, a compreensão, a responsabilidade, o cuidado de si e da vida; é fazer furos na Incerteza e reinventar a vida e ofertar novos modos de convivência. É adaptar-se, para (sobre) o viver!

Há uma ruptura assim como, dialeticamente, há uma necessidade de reconstrução dos laços sociais.

A Clínica holos, que respeita o distanciamento físico necessário, seguindo com responsabilidade as orientações dos órgãos de saúde (internacional) OMS, e nacional, Ministério da Saúde, se mantem presente  nesse processo de acolhimento psicológico, ainda que virtual, um recurso do mundo moderno, que contribui enormemente para criarmos essa ponte de contato e cuidado com a saúde psíquica e emocional. E isso importa!

O mundo não será mais o mesmo pós-Covid-19, porque não seremos mais os mesmos. Acreditamos que seremos melhores humanos!

Tags:
Categories:

Perfeccionismo é um defeito? Saiba quando esta característica ultrapassa a “normalidade”

“A vida é como andar de bicicleta”

Albert Einstein

Falar sobre questões tão subjetivas não é tarefa fácil. Por isso, vou utilizar a frase do Einstein, para expressar mais claramente minhas reflexões. Antes de falar se o perfeccionismo é um defeito, cabe esclarecer o que chamo de “normalidade” e/ou “anormalidade”.

Entendo que anormalidade não é um conceito moral, mas sim tudo o que nos limita e nos tira da vida. Einstein, na sua sabedoria, tentou expressar numa simples frase o que é a vida: movimento! Pois, parar/estagnar é morrer! Não falo aqui da morte física, mas da morte psíquica. Quando paramos em um relacionamento, em um trabalho ou em outra questão, de certo modo ficamos “aprisionados”.  Desta forma, seja por medo, insegurança ou outra necessidade, deixamos de estar na vida e nos limitamos a um mundo pequeno e sufocante.  

Tudo na vida pode ser olhado por dois lados: bem e mal, rico e pobre, certo e errado, normal e anormal, equilíbrio e desequilíbrio, etc. Estes conceitos são relativos e eles se complementam dando sentido um ao outro. Mas se para colocarmos a bicicleta em movimento, precisamos de equilíbrio, como poderíamos pensar no desequilíbrio de forma positiva? E o que tudo isto tem a ver com o perfeccionismo? Siga na nossa leitura e descubra!

E então, o perfeccionismo é um defeito? 

Entendo que o perfeccionismo é uma necessidade interna de mantermos as coisas “em ordem” de acordo com uma idealização e exigência íntima: ser bom aluno, bom profissional, boa mãe, bom filho, etc. Criamos uma imagem de que seremos reconhecidos, valorizados e até amados se atingirmos certas expectativas. Mas expectativas de quem? Expectativas que nós mesmos criamos do que achamos que os outros esperam de nós? Será que deixaremos de sermos amados se tirarmos nota baixa na escola ou se perdermos o vestibular ou se deixarmos os pratos sujos na pia quando estamos muito cansados depois de um dia exaustivo de trabalho?

Acreditamos, até inconscientemente, que sim! Na maioria das vezes, estas construções estão dentro de nós mesmos e quando acreditamos que não obtivemos o reconhecimento do outro, nos frustramos e então idealizamos mais e mais “perfeições” como tentativa de sermos “enxergados” e validados. 

Desta forma, ficamos fixados e paralisados em nossas necessidades idealizadas, sempre cansados, sem tempo para nós mesmos, nunca tendo o reconhecimento dos outros e ainda acreditando que estamos na vida e somos insubstituíveis!

É como se tivéssemos uma bicicleta, talvez a mais bonita, a mais cara, lavamos, lustramos, cuidamos, até sabemos que ela está ali para ser usada, mas vamos sempre deixando para depois… E quanto ao verdadeiro passeio? Será que não caberia aí um “desequilíbrio” no sentido de subir na bicicleta, deixar de lado os tantos cuidados e afazeres para podermos experimentar a vida no que é mais simples e que está ao alcance e todos nós? O vento na pele, o sol no rosto, o cheiro do dia, o escuro da noite, a perna cansada, a excitação da velocidade, a pulsação da vida dentro de nós!!!

Não temos tempo a perder! A vida passa! E passa muito rápido! Cabe a nós fazermos escolhas… Optaremos por estarmos “equilibrados” em cima de “uma bicicleta” vivendo o movimento da vida ou optaremos por vivermos supostamente “equilibrados” funcionando a serviço de nossos aprisionamentos?   

 

“Minha vida é como um livro.

Cada dia uma página,

a cada hora um novo texto,

a cada minuto uma palavra,

E neste segundo um SIM ou NÃO

que pode mudar minha história”.

(Elan Klever)

Para ver mais conteúdos como esse, nos siga em nossas redes sociais: Facebook | Instagram

Tags:
Categories:

Como a psicoterapia ajuda a enfrentar momentos difíceis?

“O que é psicoterapia? Duas pessoas encontram-se numa sala e conversam, ou não conversam. Isto parece tão simples, que se torna difícil de acreditar como isso é tão complexo! ” (Wilfred Bion)

O que é Psicoterapia?

A psicoterapia é um tipo de tratamento de base dialética, cuja finalidade é buscar soluções para os problemas de cunho psicológico que afligem milhões de pessoas em todo o mundo e/ou proporcionar o autoconhecimento.

Transtornos como fobias, ansiedade e depressão podem ser controlados, amenizados ou até mesmo curados através dessa prática que não se limita a tratar, apenas, de pessoas que estejam com a saúde mental comprometida. 

Assim, pessoas que buscam o autoconhecimento ou superar acontecimentos difíceis – como a perda de um ente querido, o término de um relacionamento, a perda de emprego, baixa autoestima, bullying e outras questões que provocam mal-estar, angústia e/ou desorganização do sujeito – podem recorrer à psicoterapia por garantir bons resultados.

Quer saber como a psicoterapia ajuda nesses casos? Leia o nosso artigo até o final para descobrir!

Abordagens da psicologia

Engana-se quem pensa que só existe um tipo de psicoterapia. Dada a importância desta atividade para a melhoria da qualidade de vida das pessoas, a psicologia ampliou os horizontes em direção às novas possibilidades e podemos encontrar, além da psicanálise, várias outras abordagens, cada vez mais especializadas.

Essas abordagens norteiam a atuação teórica do psicólogo. Como exemplo, elencamos algumas:

  • Junguiana;
  • Lacaniana;
  • Cognitivo-comportamental;
  • Sistêmica;
  • Gestalt;
  • Analítico-comportamental, dentre outras. 

Como a psicoterapia ajuda a enfrentar momentos difíceis?

Ao longo da vida, passamos por inúmeras circunstâncias onde nos sentimos perdidos, com sentimentos de raiva, insegurança, medo ou inconformados com alguma situação. Muitas vezes o sentimento é tão forte que nos impossibilita de continuar tendo uma rotina normal. É neste momento que devemos pedir socorro, procurando um psicólogo que nos ajudará.

Para algumas pessoas a dor e o sofrimento demoram a passar e saber lidar com as adversidades, intempéries e realidade é fundamental para podermos seguir em frente. Pensando nisso, listamos abaixo 7 formas como a psicoterapia ajuda em períodos de dificuldade: 

1. Acolhimento psicológico

Com uma escuta apurada o psicoterapeuta acolhe o paciente no momento de angústia, sofrimento e aflição, visando minimizar as dores, conflitos e incertezas.

2. Receber feedbacks imparciais de um profissional

Nem sempre ouvimos o que é preciso das pessoas que amamos. Por isso, ainda que a análise dos fatos possa ser dolorosa para o paciente, o profissional tem o dever de alertá-lo e juntos buscarem a superação do problema.

3. Incentivar a deixar a zona de conforto 

Somente um profissional com conhecimento na área é capaz de fazer o paciente sair da sua zona de conforto e dar os primeiros passos para a resolução dos seus problemas e gerenciamento de seus conflitos de forma saudável e livre de pressões.

4. Entender melhor as emoções e como lidar com elas

Através de técnicas, o psicoterapeuta ajuda o paciente a trilhar um caminho em busca do conhecimento das emoções, muitas vezes reprimidas por este, possibilitando encontrar uma forma mais leve de viver. 

5. Descobrir limitações que passavam despercebidas

A identificação de bloqueios que impedem o paciente de ter uma vida social saudável e suas causas, também, são resultados da psicoterapia.

6. Contribuir para o aumento do bem-estar

A psicoterapia tem o poder de fazer com que o paciente se conheça melhor, descubra suas características mais implícitas e aprenda a lidar com o medo, aumentando assim a autoestima e o bem-estar.

7. Autocontrole

A psicoterapia contribuirá para a regulação de algumas emoções como a raiva, a tristeza e a insegurança, que podem provocar reações desproporcionais ao evento devido à falta de controle emocional.

Se precisar, não hesite em fazer contato com a Clínica Holos, estaremos prontos para te ajudar!

Tags:
Categories:

Descubra os benefícios da terapia de casal e entenda como ela funciona!

O que é terapia de casal?

Assim como qualquer relacionamento, os relacionamentos amorosos passam por momentos de dificuldades. Momentos em que muitas vezes o sentimento já não é suficiente para manter os laços amorosos, sendo necessária ajuda profissional.

É aí que entra a terapia de casal, um tipo de psicoterapia, que ajuda pessoas envolvidas em um relacionamento a se reaproximarem e resolverem conflitos, principalmente através do diálogo.

Por que fazer terapia?

Engana-se quem pensa que somente casais em colapso precisam de terapia. Muitas vezes os casais estão à procura de mais entrosamento de conexão.

Entretanto, outras pessoas buscam uma solução para as brigas constantes, o tédio e a insegurança. Além disso, muitos casais buscam ajuda profissional por problemas financeiros, sexuais ou até mesmo para facilitar o processo de divórcio.

Quais os benefícios da terapia de casal para a relação?

A terapia de casal trabalha a  comunicação entre o casal, fator importante para a compreensão do outro, ajuda para que os dois consigam lidar com as diferenças. Além disso, ajuda a superar problemas, como a falta de confiança ou medo da solidão.

Como identificar que a relação está em crise?

O sucesso em qualquer relação está diretamente ligado à forma como o casal dialoga. É através do diálogo que um compreende o outro e, assim, decidem quando se impor, recuar ou ceder em um conflito.

Sim, em um conflito. Porque todo relacionamento é acometido por conflitos. E isso é normal.

Entretanto, chega um momento em que a comunicação no relacionamento já não é o suficiente, sendo necessário recorrer a uma terapia a dois. Mas quando é o momento certo para procurar ajuda profissional?

Trouxemos para você algumas situações que são indícios que o relacionamento está precisando passar por uma terapia de casal.

Felicidade por estar só

No início do relacionamento, vocês amavam estar juntos, mas, agora você não sente prazer na companhia do seu companheiro ou companheira e fica feliz quando ele ou ela não está por perto?

Dificuldade de projeção a dois

Um casal costuma fazer muitos planos no início do relacionamento e é normal que com o tempo novos planos sejam feitos. Se você não inclui ou tem dificuldade de ver seu par fazendo partes dos seus planos, isso é um alerta de que a relação não está bem.

Brigas constantes

Conflitos são normais e, até certo ponto, são saudáveis em um relacionamento. Entretanto, se as brigas estão cada vez mais constantes e surgem pelos motivos mais esdrúxulos, é um sinal para procurar ajuda.

Falta de apoio do outro

Se você está em um relacionamento em que se sente remando sozinho e sem descanso, então este é um motivo para se preocupar. Em um relacionamento saudável, um apoia o outro e assim os dois se fortalecem.

Se em seu relacionamento você não pode contar com o apoio do seu par, uma ajuda profissional pode ser a melhor solução para superar este problema.

Se você está passando por algum desses problemas e gostaria de ajuda, existem diversas abordagens terapêuticas que podem ajudar. Entre em contato com a Clínica Holos e agende uma consulta!

 

Gostou deste artigo? Então, acesse aqui e descubra como podemos ajudar no seu relacionamento!

Tags:
Categories:

Preciso desabafar com alguém urgente!

Quantas vezes sua alma já gritou desesperadamente “preciso desabafar” ou “não conseguirei continuar de pé”, mas ainda assim você não buscou ajuda?

Expressar a forma como nos sentimos através das palavras é algo desafiador, pois não depende apenas de termos autoconfiança para expor nossos incômodos, mas necessariamente é preciso encontrar empatia em quem nos ouve.

Em meio aos conflitos diários, principalmente diante daqueles que parecem não ter solução e são “sugadores” de energia, a comunicação é uma das ferramentas mais eficazes para manter uma vida saudável e ter a mente livre das angústias.

Expressar o que pensamos e falar sobre os problemas que nos afligem é uma boa maneira de evitarmos doenças psíquicas ou emocionais como depressão e ansiedade.

Desabafar é benéfico à saúde pois ajuda a:

  • Ressignificar os medos e angústias;
  • Criar novas alternativas para a solução de um problema;
  • Olhar a vida com mais positividade;
  • Diferenciar e redimensionar sentimentos.

Como solucionar conflitos internos?

Existem momentos na vida em que tudo que precisamos é desabafar com alguém, contar com o apoio de pessoas que nos amam. Isso não significa que elas irão concordar com tudo que dissermos ou não irão se opor a determinados pensamentos ou motivações, mas que irão nos ajudar a nortear as situações conflitantes.

Amigos e familiares geralmente são as pessoas mais indicadas à prestar socorro nos momentos de crise. Dizer-lhes: “preciso desabafar”, não soará como sinônimo de fraqueza, mas irá denotar a confiança que depositamos neles, aumentando ainda mais a proximidade, e possibilitando-os a:

  • Nos confortar e confrontar quando preciso;
  • Ouvir atenciosamente;
  • Dar conselhos;
  • Apontar os erros e nos incentivar a seguir em frente.

Toda a demonstração de afeto e compreensão, assim como as “broncas”, são muito importantes para nos ajudar diante dos conflitos internos. Mas, existem casos específicos que não basta apenas contar com o apoio do ciclo de amizade ou dos entes queridos. É preciso buscar tratamento psicológico para amenizar a dor, fortalecer o emocional e solucionar os problemas.

A importância do acompanhamento especializado quando é preciso desabafar

Sem dúvida, quando passamos por aflições, o amparo das pessoas mais próximas faz toda a diferença. Principalmente se eles são capazes de compreender nossos anseios e dar apoio moral em meio aos dilemas da vida. Mas, nem sempre a ajuda oferecida é suficiente. É importante que, para além de ouvir, a pessoa esteja pronta para acolher sem julgamentos.

Existem conflitos que, por mais simples que pareçam, necessitam de intervenção profissional, pois conseguem nos desestabilizar física e emocionalmente. Nesse momento de fragilidade é preciso reconhecer nossa incapacidade de lidar com os problemas e pedir socorro – “Não aguento mais, preciso desabafar urgente!”

Um amigo, um conhecido ou até mesmo um parente, podem e devem oferecer o ombro para chorar e enxugar suas lágrimas, mas o psicólogo ou psicoterapeuta conseguem, por meio da terapia, fazer com que você enxergue os aspectos obscuros. Isso é possível porque esses profissionais dispõem de:

  • Ferramentas necessárias para descobrir a raiz dos problemas que afligem os pacientes;
  • Técnicas para estimular a autoconfiança e impulsionar as pessoas a serem mais produtivas e viverem mais felizes;
  • Conhecimento para entender a mente humana para ajudar a moldar conexões neurais e padrões de comportamento.

Preciso desabafar: a terapia é o local apropriado para isso!

Às vezes, as pessoas deixam de buscar ajuda profissional por temer dividir sua intimidade com alguém que não conhece, ou devido ao preconceito que ainda existe com as pessoas que recorrem ao tratamento psicológico. Mas, a terapia é um espaço ideal para:

  • Abrir os horizontes;
  • Buscar alívio da dor psicológica;
  • Refletir sobre ações e posicionamentos inadequados;
  • Dividir as angústias e frustrações, sem sofrer julgamento;
  • Restaurar a saúde psíquica, abalada pelo estado emocional;
  • Aprender a enfrentar o medo de falar o que sente; e,
  • Estabelecer a comunicação eficaz quando o conflito é gerado pelos relacionamentos interpessoais.

É por meio da fala do paciente que o terapeuta consegue entender os conflitos existentes e oferecer o devido suporte emocional, ajudando-o a superar as crises. Então, se você está envolvido por um turbilhão de emoções que estão causando angústias, procure um terapeuta e converse a respeito.

Leitura indicada: “A psicoterapia pode ser a cura para problemas emocionais

Deseja marcar uma consulta com um dos nossos terapeutas? Acesse aqui: http://clinicaholos.com/agendar-consulta/

Tags:
Categories:

Saiba como controlar o estresse!

As pressões do dia-a-dia podem ser combustível para o sucesso ou se tornar fontes de estresse, dependendo da intensidade e frequência com que acontecem e da maneira como reagimos a elas. Por isso, conter os ânimos é providencial para quem deseja viver com qualidade de vida, e mais, saber como controlar o estresse pode ser o caminho para encontrar a paz interior.

Estamos cada vez mais cercados por cobranças e submetidos à situações favoráveis ao desgaste físico e emocional, seja no âmbito familiar, profissional ou social. O chefe estabelece prazos e metas exorbitantes; o filho que deseja mais atenção, limitada pela escassez do tempo; os recursos financeiros às vezes são menores que as dívidas à pagar. Enfim, uma série de agentes potencializadores do estresse.

O estresse, suas causas e sintomas

Mas, afinal, o que é estresse?

É a resposta física ou mental do organismo às tensões. Ele é responsável por provocar uma série de reações químicas e fisiológicas que geram sensações de medo, desconforto, nervoso, preocupação, etc.

São inúmeras as causas do estresse, desde acontecimentos bons ou ruins, à problemas cotidianos. Dentre elas, as mais comuns são:

  • Mudança de residência;
  • Casamento;
  • Crises no relacionamento ou separação;
  • Nascimento de um filho;
  • Ruídos e sons altos;
  • Desemprego ou excesso de trabalho;
  • Falecimento de entes queridos;
  • Problemas de saúde ou de aceitação;
  • Efeito colateral ao uso de certos medicamentos (para tratar asma, tireoide, resfriado, e outros).

Além desses fatores, o uso de drogas, e até mesmo excesso de cafeína, podem ser responsáveis por elevar o nível do estresse de uma pessoa.

Diante de situações de grande tensão, o nosso organismo passa a produzir uma quantidade maior de cortisol – hormônio diretamente envolvido na resposta do corpo ao estresse – na corrente sanguínea.

Existem três tipos de estresse: o agudo (resultante das pressões diárias), o agudo episódico (mais frequente devido ao excesso de preocupação) e o crônico (onde a pessoa está continuamente estressada).

O estresse pode apresentar tantos sintomas físicos quanto psicológicos, dentre os quais, os principais são:

  • Dores de cabeça;
  • Náuseas;
  • Dor no peito;
  • Hipertensão;
  • Dores musculares;
  • Boca seca;
  • Queda de cabelo em excesso;
  • Mau humor;
  • Sensação de fracasso;
  • Alteração do sono; e,
  • Desânimo.

Quer saber como controlar o estresse? Faça terapia!

Existem algumas atividades simples que ajudam a controlar o estresse, como, por exemplo, cuidar de si mesmo, usar menos o celular, dormir melhor, fazer sexo, praticar exercícios físicos, ter uma alimentação balanceada, etc. Contudo, é fundamental recorrer à terapia e psicoterapia para:

  • Identificar a causa do estresse;
  • Sanar os sintomas do estresse;
  • Encontrar equilíbrio emocional;
  • Aprender a administrar melhor os sentimentos;
  • Ajudar a refletir sobre os problemas;
  • Ter um novo olhar sobre uma preocupação recorrente.

A terapia é muito eficaz no alívio do estresse, pois a pessoa passa a se conhecer melhor e começa a tomar decisões mais assertivas. Ela filtra pensamentos negativos, evita o isolamento e consegue ter relacionamentos interpessoais mais saudáveis. Ou seja, toma a direção da situação.

O tratamento terapêutico também ajuda a controlar o estresse em doenças psicológicas como depressão e ansiedade.

Na psicoterapia, o paciente vai expor os seus anseios, problemas e questões que estão afetando direta ou indiretamente a sua felicidade. O psicólogo ou psicoterapeuta vai ajudá-lo a entender como o seu comportamento tem o prejudicado, e te orientará a assumir novas posturas que ajudem a controlar o estresse.

O tratamento psicoterapêutico pode ser realizado através de:

  • Psicanálise;
  • Terapia Junguiana;
  • Gestalt;
  • Psicoterapia Cognitivo Comportamental;
  • Bioenergética, e outras.

Terapias alternativas para ajudar a controlar o estresse

Os tratamentos alternativos também podem ser bons aliados no combate ao estresse.  Algumas técnicas utilizadas atualmente apresentam resultados satisfatórios, dentre elas:

Yoga

Ajuda a pessoa a fazer uma “higiene mental” pela prática de meditação, estimulando-a a encontrar-se consigo mesma.

Acupuntura

Técnica que estimula os pontos distribuídos pelo corpo com uso de agulhas, a fim de permitir o relaxamento e alívio de dores.

Reflexologia

Busca-se o equilíbrio entre mente e corpo através da massagem nos pés.

Aromaterapia

Usa-se óleos naturais para tratar desequilíbrios emocionais.

Então, agora que sabe a importância da terapia em uma rotina estressante, comprometa-se! Não deixe o estresse vencer você e sua felicidade.

Se você procura por um tratamento eficaz para a cura do estresse, conheça os nossos serviços clicando aqui!

Tags:
Categories:

Entenda tudo sobre a psicologia da gestalt

A psicologia da gestalt surgiu em resposta a necessidade do cérebro humano de interpretar o mundo ao redor o mais rápido possível. Essa interpretação é essencial para a nossa sobrevivência, e ocorre principalmente através da visão. Nesse sentido, a gestalt, que significa forma, configuração ou característica, é utilizada para trazer à tona os mistérios ocultados em nossa mente.

Gestalt é uma doutrina que compreende os processos psicológicos a partir da percepção humana. E essa percepção não se dá com a observação de pontos isolados, mas do todo.

Para se adaptar ou mudar a realidade a sua volta, o ser humano precisa se posicionar diante das tensões existentes. Mas, algumas pessoas não conseguem ter êxito diante das adversidades, justamente porque seu estado psicológico ou emocional pode estar abalado.

Então, em busca de proporcionar melhor qualidade de vida, a gestalt auxilia o paciente a compreender como ele é afetado pelo presente, para saber como agir em meio a um conflito interno ou situação de estresse. Ele é estimulado a enxergar a realidade a sua volta por outro prisma, com base na visão de mundo que possui.

A psicologia da gestalt

Agora que você conhece a gestalt, que tal saber sobre a gestalt na psicologia? A psicologia da gestalt auxilia o paciente com problemas psíquicos a enfrentar suas crises. Para isso, estimula-se a consciência crítica do sujeito, observando suas perspectivas em relação ao conflito. Assim é possível orientá-lo nas dificuldades diárias.

Os psicólogos e psicoterapeutas utilizam a psicologia da gestalt para ajudar os pacientes que passam por problemas psicoemocionais diversos a:

  • Ter uma nova visão de si mesmo;
  • Desenvolver suas potencialidades;
  • Traçar novas estratégias para vencer as adversidades;
  • Controlar as emoções diante do estresse ou conflito.

A psicologia da gestalt é um avanço no tratamento de problemas psicológicos e emocionais, pois o foco de atenção do terapeuta não é o problema, mas sim o paciente.  A psicologia da gestalt entende que as pessoas não podem ser vistas como seres isolados, e sim fruto do meio em que vivem e das interações socioculturais que estabelecem ao longo da vida.

Por isso, o terapeuta se preocupa com o todo – desvendar o ser humano em suas peculiaridades, que são construídas principalmente por:

  • Relacionamentos interpessoais;
  • Ambientes frequentados;
  • visão de mundo que possui.

Leis da gestalt

As leis da gestalt ajudam o paciente a direcionar o olhar na perspectiva correta. É possível trabalhar suas limitações através da observação de características básicas de algumas imagens. Para isso, o terapeuta utiliza técnicas que “treinam o olhar”. As principais leis são:

  • Unidade: ajuda a pessoa a interpretar a forma, preencher os espaços vazios instintivamente, e a perceber a situação com maior clareza;
  • Semelhança:  são características visuais próximas ou idênticas de um elemento. Permite que ele seja associado a uma mesma família;
  • Proximidade: refere-se as partes próximas que tendem ser vistas como pertencentes a um mesmo grupo;
  • Continuidade: é a preferência das pessoas por formas sem interrupção, o que facilita a previsão do movimento da forma.
  • Pregnância da forma: para que haja melhor percepção, a forma deve ter construção simples;
  • Clausura: a figura possui limites bem marcados;
  • Fechamento: imagens abertas ou vazadas são interpretadas pela nossa mente como um elemento completo.

Terapia gestalt

Sua mente tem sido atacada pelas pressões diárias? Está passando por problemas conjugais, estresse no trabalho, dificuldades familiares? É hora de cuidar da sua saúde psicoemocional. A terapia gestalt pode ajudar a minimizar ou sanar os danos psicológicos causados pelo enfrentamento de situações difíceis.

O tratamento terapêutico pode ser o melhor indicado, pois te ajuda a:

  • Reconhecer sua identidade;
  • Desenvolver seu potencial humano;
  • Ter melhor relacionamento interpessoal; e,
  • Enxergar traços importantes da personalidade que estão ocultos.

A depender do grau de dificuldade, a psicanálise, a terapia cognitivo comportamental, a psicoterapia sistêmica familiar e outras, em conjunto com a gestalt, podem te ajudar a vencer a dor. Por isso, cuide de um dos seus maiores bens:  sua saúde mental. Se acha que precisa de ajuda, não exite: faça terapia.

Agora que já conhece a psicologia da gestalt, veja os profissionais que trabalham com essa especialidade na Clínica Holos.

Tags:
Categories:

Conheça os benefícios da terapia em grupo

A terapia em grupo é um método terapêutico que faz sucesso quando se tratam de alguns problemas específicos, como alcoolismo e vício, e sua prática e disseminação vêm aumentando. Um dos motivos para isso, é que ela apresenta inúmeros benefícios que não só ajudar o paciente com o problema pelo qual ele foi buscar ajuda.
Essa terapia tem se revelado eficiente em estimular que as pessoas compartilhem suas experiências e adquiram novas lições, além de aumentar o envolvimento dos participantes com os problemas e a busca por soluções.
Normalmente, essas sessões terápicas acontecem com no mínimo três participantes que são colocados em uma roda de acolhimento e mediados por um psicólogo, que pode também sugerir dinâmicas e organizar as participações. Nessa roda, eles são estimulados à se abrirem, expor seu problemas e angústias e à escutar e ajudar os outros participantes.
Porém, antes de chegar nessa etapa, o paciente é avaliado e preparado individualmente pelo psicólogo para, depois, ser alocado em um grupo onde haja interesse em comum e se encaixe com seu perfil.
A base de qualquer terapia em grupo é o compartilhamento de experiências e, por isso, pessoas mais introvertidas podem ter dificuldade de se encaixar, mas isso pode ser benéfico e servir de estímulo para que ele possa superar a vergonha.
Alguns outros benefícios são:
– cria laços de amizade
– ambiente confidencial
– melhora as relações sociais e aumenta a auto-estima
– observar e aprender com os depoimentos.
– superar a timidez.
– desenvolver capacidade de falar e ouvir o próximo.
– autoconhecimento e fortalecimento emocional.

Tags:
Categories:

Utilizando a Terapia Cognitiva para emagrecer

A Terapia Cognitiva se baseia no conceito de que os nossos pensamentos afetam diretamente o que sentimos e fazemos. Quando sentimos fome, em seguida vem o pensamento irracional de que essa sensação é ruim e que não pode ser tolerada, que é necessário comermos. Isso causa uma forte ansiedade e nos direcionamos em busca de comida.

Com a ajuda de um profissional, é possível que seja construída a ideia de que, ao sentirmos fome, podemos esperar e aguardar umas duas horas, por exemplo. Afinal, pode não ser uma necessidade e sim um desejo. Talvez, o prazer que teremos comendo agora será muito curto, quando comparado com os pensamentos que virão após comer demasiadamente, ou até o peso a mais que iremos ganhar todas as vezes que vem a sensação da fome.

A Terapia Cognitiva ajuda a identificar esses pensamentos irracionais (e sabotadores) e a lidar com eles de uma forma funcional, de forma produtiva para cada indivíduo.

Fique bem!

Tags:
Categories:

Terapia Sistêmica: o que é?

A Terapia Sistêmica é um tipo de terapia que compreende o indivíduo nas relações com os seus sistemas, sejam eles familiar, escolar, trabalho ou a comunidade em que vive ou participa.

É uma terapia indicada para todas as pessoas, de qualquer idade, e que esteja em sofrimento emocional (psíquico), com dificuldades ou conflitos. Essa terapia pode ser de forma indivudual, casal ou familiar, e propõe uma intervenção intensa, por tempo ilimitado, buscando modificar o padrão de relacionamento.

Na terapia sistêmica, o paciente analisa seus padrões de interação e reações automáticas, que só é possível através da análise da sua própria individualidade, poderes e responsabilidades.

Tags:
Categories: