Agende agora a sua consulta por telefone. ✆ Ligue para (71) 3345-4545

O estresse causado pelo trânsito

Quem vive em grandes centros urbanos tem que lidar quase que diariamente com diversas situações no trânsito. Seja a atrapalhada de outros motoristas, uma moto, a fechada de ônibus ou os enormes engarrafamentos. Acontece que essas situações, somadas ao cansaço ou à preocupação, muitas vezes cria uma situação estressante que pode ser estendida.
Isso faz com que o número de pessoas estressadas no trânsito e que levam esse estresse pra casa cresça cada vez mais. O estresse passa, então, a ser considerada uma síndrome contemporânea que virou moda. Isso mesmo, muitas pessoas acham que se sentir estressado é completamente normal, mas não é.
O estresse é um tipo de mecanismo de defesa do corpo causado pelo aumento do hormônio cortisol, que normalmente é estimulado por alguma situação ou por um acumulo delas. Porém, essa síndrome pode causar diversas reações no corpo, como aumento dos batimentos cardíacos e da pressão arterial. Além disso, pode ser a porta de entrada para distúrbios psicológicos mais graves.
Quando o estresse alcança a fase de exaustão, há uma queda na imunidade, tornando o corpo mais propicio ao surgimento de doenças como hipertensão, infecções, depressão, ansiedade, caspa, obesidade, etc.
Por tanto, por mais que em algumas situações seja extremamente difícil controlar o estresse, devemos buscar um escape em outros tipos de atividades. Pode ser atividade física, meditação, yoga, técnicas de respiração e várias outras. Caso essa síndrome venha a se agrava, é recomendo a ajuda de um psicólogo para ajudar no tratamento.

Tags:
Categories:

Como ter mais paciência no trânsito

A correria das grandes cidades e da nossa própria rotina nos leva a reagir de forma intempestiva no trânsito. Falta paciência, gentiliza e até educação, afinal, é preciso a percepção de regras simples.

Sabemos que o tempo exigente e veloz que vivemos é o motivo que torna as pessoas mais agressivas e até competitivas no trânsito, mas este fato não pode ser uma desculpa para faltar o respeito ou compreender um pouco o outro.

Um ponto simples pode nos ajudar imensamente é entender que estamos num espaço comum, que pode e deve ser utilizado por todos. É preciso também conhecer melhor os nossos próprios limites e compreender que a mudança parte de cada um para que o coletivo possa se beneficiar.

A cultura da vantagem precisa ser mudada. Como condutores, que possamos ter mais sabedoria para lidar com outros condutores e pedestres, além de conduzir uma máquina que mata milhares por ano.

Tags:
Categories: