Agende agora a sua consulta por telefone. ✆ Ligue para (71) 3345-4545

O mau humor constante pode ser princípio de alguma doença psicológica

Para muitas pessoas o mau humor constante é entendido como o jeito de ser do sujeito, algumas pessoas se reconhecem mau humoradas há anos, o que pode dificultar a procura por uma ajuda especializada nos casos em que o mau humor signifique algum transtorno psicológico, como a depressão, por exemplo.

Entendendo a depressão 

A depressão é um problema de saúde pública, considerada pela Organização Mundial de Saúde- OMS (2012) como o mal do século XXI que acomete quase 5% da população, representando mais de 350 milhões de pessoas em todas as regiões do mundo.

Segundo o psiquiatra Shekha Saxena (2012), diretor do Departamento de Saúde Mental e Abuso de Substâncias Psicoativas da OMS, as mulheres são mais propensas a sofrerem com a depressão, 50% a mais do que os homens, sendo atribuída essa prevalência à depressão pós-parto que afeta até uma mãe em cada cinco.

A OMS afirma que essa doença é crescente na população e que é fruto da interação de fatores sociais, psicológicos e biológicos e em algumas ocasiões está relacionada com a saúde física. 

Saxena (2012) afirma ainda que mais de 50% das pessoas que cometeram suicídio sofriam de depressão.

A OMS chama a atenção para a necessidade de o indivíduo admitir a doença, procurar ajuda e um diagnóstico precocemente: “Quanto antes for iniciado o tratamento, mais eficiente ele é”, diz a OMS. 

Como diagnosticar se o mau humor constante tem relação com a depressão

O Transtorno Depressivo Maior – TDM causa sofrimento e imobilidade no indivíduo. O Manual Diagnóstico e Estatístico dos Transtornos Mentais, em sua quinta edição, DSM-5 (APA,2014) define critérios para o diagnóstico: “ A característica comum é a presença de humor triste, vazio ou irritável, acompanhado de alterações somáticas e cognitivas que afetam significativamente a capacidade de funcionamento do indivíduo”. Para que o TDM seja diagnosticado o indivíduo deve apresentar cinco ou mais dos sintomas elencados no item “ A”, ipsis litteris, transcritos abaixo: 

  1. Cinco (ou mais) dos seguintes sintomas estiverem presentes durante o mesmo período de duas semanas e representam uma mudança em relação ao funcionamento anterior; pelo menos um dos sintomas é (1) humor deprimido ou (2) perda de interesse ou prazer. 

1.Humor deprimido na maior parte do dia, quase todos os dias, conforme indicado por relato subjetivo (p. ex., sente-se triste, vazio, sem esperança) ou por observação feita por outras pessoas (p. ex., parece choroso). (Nota: Em crianças e adolescentes, pode ser humor irritável.) 

2.Acentuada diminuição do interesse ou prazer em todas ou quase todas as atividades na maior parte do dia, quase todos os dias (indicada por relato subjetivo ou observação feita por outras pessoas). 

3.Perda ou ganho significativo de peso sem estar fazendo dieta (p. ex., uma alteração de mais de 5% do peso corporal em um mês), ou redução ou aumento do apetite quase todos os dias. (Nota: Em crianças, considerar o insucesso em obter o ganho de peso.) 

4.Insônia ou hipersonia quase todos os dias. 

5.Agitação ou retardo psicomotor quase todos os dias (observáveis por outras pessoas, não meramente sensações subjetivas de inquietação ou de estar mais lento). 

6.Fadiga ou perda de energia quase todos os dias. 

7.Sentimentos de inutilidade ou culpa excessiva ou inapropriada (que podem ser delirantes) quase todos os dias (não meramente auto recriminação ou culpa por estar doente). 

8.Capacidade diminuída para pensar ou se concentrar, ou indecisão, quase todos os dias (por relato subjetivo ou observação feita por outras pessoas). 

9.Pensamentos recorrentes de morte (não somente medo de morrer), ideação suicida recorrente sem um plano específico, uma tentativa de suicídio ou plano específico para cometer suicídio. 

O número e a gravidade dos sintomas classificam o episódio depressivo em três graus: leve, moderado e grave. Os critérios mínimos para o diagnóstico de episódio depressivo envolvem dois dos três sintomas principais (humor deprimido, perda de interesse ou prazer e energia reduzida), podendo ser acompanhados de outros sintomas, tais como redução da concentração e atenção, assim como, da autoestima e da autoconfiança, aliados a prejuízos funcional ou social.

Para Wright et al. (2012) a desesperança é um sintoma central da depressão, sendo uma cognição especialmente danosa, com comportamentos desadaptativos.

A depressão pode sugerir a ideação suicida e o consumo do ato devido a complexa mistura de fatores biológicos, cognitivos, emocionais, ambientais e espirituais.

Tratamento para o mau humor constante

Segundo a OMS (2012) o tratamento para a depressão perpassa pelas áreas psicossociais e farmacológicas, sendo essencial a participação ativa das pessoas deprimidas e de seus parentes. 

Em ampla escala, o tratamento da depressão deveria começar com a psicoeducação nas escolas e em outras instituições da sociedade, sobre o transtorno da depressão maior.

A Organização Mundial da Saúde (OMS, 2001) prevê que, até 2020, a depressão será a segunda maior causa de incapacitação para o trabalho, perdendo apenas para doenças cardíacas. Por ser um fenômeno crescente, atingindo públicos amplos sem distinguir sexo, classe econômica ou faixa etária, não é exagero referir-se a ela como o mal do século XXI.

A pessoa deprimida possui mau humor constante, uma visão negativa de si mesma, uma visão negativa do presente e uma visão negativa do futuro; visões perceptivas que reforçam a desesperança.

A desesperança é uma cognição, uma crença de um futuro sem perspectivas. O indivíduo que apresenta crença de desesperança tende a prever o futuro sem expectativas, perde a motivação pela vida e seu desejo de viver é arruinado.  Assim, o paciente com desesperança se percebe anormal, defeituoso, falho e, diante disso, acredita que não tem valor, subestimando suas potencialidades (Beck et al., 1997). 

A psicoterapia ajudará a pessoa com mau humor constante, tristeza profunda, depressão, etc, a avaliar melhor as reais circunstâncias das suas experiências, dores e dissabores, proporcionando ao paciente novas perspectivas, visando uma interpretação mais positiva de suas interações com o ambiente.

Marbackl e Pelisololl (2014) concluem que a aliança terapêutica é o foco fundamental, que vai amparar estratégias mais objetivas como resolução de problemas, busca de apoio social, manejo de impulsos e prevenção à recaída. 

Perceba como está o seu humor e se precisar não hesite em fazer contato com a Clínica Holos, estaremos prontos para te ajudar!

Tags:
Categories:

Saiba o que é terapia bioenergética e quais os benefícios desse tratamento!

Todos nós passamos por momentos de instabilidade emocional. Às vezes, as dificuldades de lidar com os conflitos provocam distúrbios físicos e mentais, que precisam ser tratados por técnicas terapêuticas como a terapia bioenergética, nosso estudo de caso neste artigo

E você já ouviu falar em terapia bioenergética? É uma prática terapêutica que visa o equilíbrio entre a mente e o corpo através de uma série de exercícios específicos e técnicas de respiração, que permitem atingir a autoconsciência corporal e renovação da energia vital.

É através da leitura do corpo do paciente que o terapeuta vai aplicar a pressão necessária para renovar a energia e trazer alívio para as tensões, assim como provocar sensação de prazer, alegria e tranquilidade.

Para quais problemas a terapia bioenergética é indicada

A rotina acelerada nos dias atuais é uma das principais fontes de tensão, que gera doenças físicas e psicológicas ou aciona gatilhos de traumas não superados. Por isso, é importante buscar o equilíbrio para não se tornar refém das dores, do medo ou da insegurança. 

 A prática da terapia bioenergética é indicada para tratar qualquer caso de instabilidade emocional, como:

  • Fobias;
  • Baixa autoestima;
  • Ansiedade;
  • Depressão;
  • Problemas respiratórios, digestivos e neurológicos.

A terapia bioenergética é muito eficaz no combate a várias patologias, trazendo alívio das dores e promovendo a autoconsciência corporal (a capacidade de relacionar as contrações musculares com o estado emocional) e o grounding (capacidade de refletir sobre os próprios sentimentos).

Técnicas utilizadas pela terapia bioenergética

A terapia bioenergética pode ajudar as pessoas a ter melhor qualidade de vida por meio da realização de algumas técnicas, que podem ser realizadas com ou sem a ajuda de um terapeuta.

Massagem bioenergética

Por meio dessa técnica é possível aliviar as tensões do dia-a-dia, através da manipulação dos músculos, tecidos e articulações, causando a sensação de bem-estar físico e mental. Entre os benefícios dessa massagem estão: a consciência corporal; diminuição de dores de cabeça e enxaqueca; melhora da autoestima, e; melhora dos sistemas muscular, nervoso e respiratório.

Exercícios bioenergéticos

São realizados com a estimulação de algumas partes do corpo (olhos, boca, pescoço, diafragma, peito, pés e pernas), com a finalidade de “liberar” a energia bloqueada pelas emoções reprimidas em diversas partes.  Essa prática proporciona autoconhecimento, aumento da disposição e relaxamento.

Terapia bioenergética aliada a outras técnicas

Além da massagem, exercícios físicos e respiratórios, a terapia bioenergética pode aliar-se a outras técnicas terapêuticas como yoga, tai- chi-chuan, cromoterapia, aromaterapia, psicoterapia e outras para melhorar o estado emocional das pessoas e equilibrar a energia.

Áreas do corpo trabalhadas pela terapia bioenergética

Por meio da terapia bioenergética é possível trabalhar várias partes do corpo, minimizando as tensões e trazendo a sensação de harmonia para o paciente. São elas:

  • Pernas e pés – os exercícios fortalecem a conexão com a realidade, permitindo maior observação do mundo a sua volta, já que as pernas e os pés são os membros responsáveis pelo equilíbrio, movimento e sustentação do corpo.
  • Diafragma – a prática da terapia bioenergética permite maior controle da respiração, evitando o surgimento de doenças que podem ser provocadas pela contração inadequada desse órgão, como gastrite, úlcera e azia, além de proporcionar alívio da tensão.
  • Peito – emoções bloqueadas são tratadas com os exercícios que ajudam a aliviar a dor provocada por decepções amorosas ou sentimentos reprimidos.
  • Boca – é possível aumentar a capacidade de comunicação, assim, possibilitando a pessoa conseguir falar sobre temas que antes eram difíceis de serem tratados.
  • Pescoço – ajuda no relaxamento e alivia as tensões do estresse.
  • Pélvis – problemas sexuais como frigidez, impotência e ejaculação precoce podem ser minimizados e até mesmo sanados ao decorrer do tratamento.

Se você quer começar o tratamento de terapia bioenergética o mais rápido possível, clique aqui e agende uma consulta!

Tags:
Categories:

Câncer de Mama – tratamentos para depressão pós trauma

Antes de conversarmos sobre os tratamentos para depressão, é importante desconstruirmos alguns conceitos errôneos atribuídos à psicoterapia e sua aplicação nas diversas frentes.

A psicologia e os tratamentos para depressão

A Psicologia ainda sofre preconceitos na atualidade: mesmo com o aumento das informações sobre doenças e tratamentos psicológicos, ainda existem pessoas que consideram psicólogos como médicos que tratam apenas de doenças psíquicas graves. Contudo, essa área do conhecimento continua avançando e tem se tornado um dos principais alicerces para a vida saudável do homem contemporâneo.

Em nossa sociedade, a rotina acelerada ocasiona situações de forte estresse, o que, com o passar do tempo, pode gerar danos à saúde mental, uma vez que situações difíceis e traumáticas, ainda que pontuais, são gatilhos que podem levar à transtornos psicológicos. Uma das doenças mentais mais abordadas atualmente é a depressão, porém, muitas vezes ainda de forma equivocada.

Devido a visão distorcida que há sobre esta disfunção, pessoas que precisam de tratamentos para depressão podem ser bastante prejudicadas, já que muitas delas sofrem com o transtorno, mas não buscam o auxílio de um profissional.

A psicoterapia é importantíssima não só para o tratamento da depressão, mas é fundamental em sua prevenção. No caso de um evento traumático como um câncer, por exemplo, o acompanhamento psicológico desde o momento da descoberta pode evitar o desenvolvimento da doença, o que ajuda a reduzir a gravidade do quadro do paciente.

Tratamento psicológico para o câncer de mama

Não há como mensurar o abalo psíquico que o câncer de mama pode causar em uma mulher. Porém, quando há o acompanhamento psicológico da paciente, ajudando-a a lidar com suas angústias e medos, a carga emocional é dissipada, impactando positivamente na recuperação da saúde durante e após o tratamento.

Uma vez diagnosticada com câncer de mama, muitas etapas se darão na vida da paciente, desde a forte rejeição e negação da doença, até a esperança de estar completamente curada. Por isso, é extremamente necessário o acompanhamento desde o diagnóstico até o término do tratamento.

O câncer é uma doença devastadora no que tange também a saúde mental dos familiares e amigos, logo, se faz necessário que as pessoas mais próximas ao paciente também sejam assistidos por um acompanhamento psicoterapêutico.

Os benefícios trazidos pela psicoterapia

São inúmeros os benefícios que a psicoterapia pode trazer à vida de uma pessoa. Vamos aqui citar alguns deles.

Melhora da autoestima

Pessoas que possuem autoestima baixa podem passar a ser vítimas da depressão e/ou do transtorno de ansiedade.

A psicoterapia ajuda o indivíduo a reconhecer as suas capacidades, desenvolver o amor próprio, no fortalecimento da inteligência emocional e da capacidade de lidar com situações controversas que ocorrerão ao longo da suas vidas.

Desenvolvimento pessoal e autoconhecimento

A partir do momento em que uma pessoa conhece as suas potencialidades e dificuldades, a mesma pode investir em seus pontos positivos, de forma a conseguir “driblar” os obstáculos que a impedem de alcançar a paz interior e o equilíbrio.   

Assim, poderá trabalhar para se tornar um ser humano cada vez melhor, aprendendo  sobre limitações e desafios, além de superação e esperança, na busca pelo autoconhecimento, felicidade e evolução, para si e para todos ao seu redor.

Superação de traumas

É inevitável que situações trágicas ou desagradáveis aconteçam na vida de qualquer pessoa, e para saber como lidar com elas e superá-las, que a psicoterapia vem em nosso auxílio. O acompanhamento psicoterápico ajuda na capacidade de reagir positivamente no tratamento da depressão, da tristeza e da frustração.

Nosso atendimento psicológico

A Clínica Holos conta com profissionais altamente competentes para auxiliar no desenvolvimento pessoal e no bem estar de seus pacientes.

A psicoterapia lida com o autoconhecimento e superação de traumas, por isto, se você está passando por um momento difícil, ou conhece alguém que busca por tratamentos para depressão, procure nossa ajuda. Estamos prontos para te dar o auxílio psicológico que você precisa.

Agende uma consulta com um de nossos especialistas.

Tags:
Categories: