Por que é importante que os homens busquem por tratamento psicoterapêutico?

Embora a presença do masculino nos consultórios de psicoterapia na contemporaneidade venha ganhando lugar, o que mostra que a cultura em torno da identidade do masculino tem passado por mutações, abordar o tema do tratamento psicoterapêutico no universo masculino ainda pode ser considerado um tabu, em virtude de uma construção histórica e social que associa a masculinidade a ideais de virilidade, potência, agressividade, performance, competência e força. Assim, o tornar-se homem seria um imperativo associado a características do comportamento masculino, que resultam em aprisionamento e solidão no gerenciamento das dores humanas, portanto, atraem vivências de uma masculinidade imposta por ditames sociais causadores de sofrimentos.

Homem que é homem não chora?

Segundo o psicólogo Alexandre Amaral a exigência deste padrão masculino se impõe como um sofrimento avassalador, afinal homem não chora! Embora o medo de exposição da fragilidade ainda exista no universo masculino, já estamos superando esse estereótipo, a clínica vem recebendo cada vez mais homens que se autorizam a chorar e que buscam no setting terapêutico, um espaço para expressão de sentimentos e fragilidades, o que torna possível a expressão da alma masculina com suas dores. É através do encontro terapêutico que a experiência de tornar-se homem pode ganhar novos sentidos, aqui usamos a expressão de Simone de Beauvoir, filósofa contemporânea, sobre “tornar-se mulher”, para uma reflexão sobre o tornar-se homem, uma vez que, ser homem também é uma construção social e histórica para além de heranças biológicas e atribuídas ao gênero.

Na contemporaneidade, podemos observar que o papel do masculino vem sendo intensamente provocado a ser revisitado por diversas razões e por muitas vezes é convocado a ocupar um lugar de masculino machista, moralista e rígido já não cabe mais. As transformações sociais do feminino criaram um território provocativo para a construção de novos modelos de provedor, pai, marido, amigo, colega de trabalho e de todos os papéis em que os homens possam atuar.  As novas configurações dos modelos familiares também trazem importantes influências nesse novo masculino que vem buscando o tratamento psicoterapêutico com o desejo de reinventar-se.

Por que os homens têm buscado por tratamento psicoterapêutico? 

A chegada dos homens à clínica, é por vezes motivada por mulheres. Mães, companheiras e amigas que fazem o papel de motivadoras no processo inicial de busca por tratamento psicoterapêutico, o que demonstra que gradativamente os homens estão percebendo a importância de ter um espaço de fala sem julgamento e acolhedor. As demandas mais comuns encontradas na clínica estão vinculadas aos sintomas que surgem por esses homens não conseguirem gerenciar conflitos antes desconhecidos. Destarte, os resultados de experiências humanas como questões com a sexualidade, quebras de vínculos, abandonos, lutos, medos,  dramas e dilemas presentes também no universo masculino, são convertidos em sintomas como distúrbios emocionais, ansiedade generalizada, depressão, alcoolismo, compulsões alimentares, por jogos, por sexo, disfunção sexual (ejaculação precoce, disfunção erétil) causando o enfraquecimento da auto estima que vem trazendo esse sujeito para a experiência de impotência que muitas vezes se lateraliza no corpo. Os sentidos do ser homem muitas vezes torna-se uma experiência de solidão e sofrimento que podem iniciar desde a adolescência.

Os efeitos positivos do tratamento psicoterapêutico com homens

A experiência do processo terapêutico com homens reverberam como um despertar para a importância do autoconhecimento e compreensão de fatores sócio, históricos e culturais presentes na constituição da masculinidade para além de algo que nasce com o sujeito, mas que é construído socialmente.

O olhar sobre os componentes masculinos e femininos do psiquismo humano na perspectiva do autor Carl Gustav Jung contém a expressão dos dois gêneros. Jung desenvolveu o conceito de Anima referindo-se ao aspecto feminino presente na personalidade masculina e Animus que diz respeito ao componente masculino presente na personalidade feminina. Desta forma, ser homem e ser mulher tem a influência do masculino e do feminino contidos intrinsecamente na experiência humana independente do gênero. 

Neste sentido, o acolhimento ofertado na escuta terapêutica dos homens tem proporcionado uma melhoria da qualidade de vida, incluindo as condições de saúde, bem como a transformação da experiência do que é ser homem na contemporaneidade, para o desenvolvimento de uma masculinidade mais harmoniosa, portanto mais saudável.

 

Mônica Viana Andrade 

Noilza Abreu Benício dos Santos

Tags:
Categories:

Postado por Clínica Holos

Clínica Holos De Saúde e Desenvolvimento Pessoal.

<a href="https://www.facebook.com/ClinicaHolos/">Facebook</a> | <a href="https://www.instagram.com/clinicaholosba/">Instagram</a>